Márcia Maia participa na Assembleia Legislativa de CPI do Tráfico de Pessoas

A deputada estadual Márcia Maia participou segunda-feira, 28, da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que trata do Tráfico de Pessoas, realizada pelo Senado Federal, na Assembleia Legislativa do Estado do Rio Grande do Norte.

 

No sistema de audiência pública, o evento que tem sido realizado em outras capitais do Nordeste – Salvador (BA), Recife (PE) e Fortaleza (CE) – e tem por objetivo averiguar uma provável rota do crime na região e a relação entre as cidades de origem do tráfico para fins de exploração sexual.

 

A presidente da CPI, senador Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), diz que a relação entre turismo sexual e tráfico é evidente na cidade, principalmente por ser uma das capitais na região que mais recebem turistas estrangeiros. “Queremos contextualizar essa situação com as principais autoridades policiais, governamentais e entidades que atuam na área. Será um debate muito rico nesse sentido”, afirmou a presidente do colegiado.

 

Presidente da Frente Parlamentar da Criança e Adolescente e da Comissão de Direitos Humanos da Assembleia, Márcia destacou a necessidade de medidas efetivas para pôr fim ao problema. Sobre o anúncio feito pela governadora Rosalba Cialini sobre a criação de um núcleo para combater a questão, a deputada se mostrou desconfiada.

 

“Ficamos felizes com a perspectiva de implantação do núcleo, já que outros 14 estados do país já possuem o seu. Mas esperamos que ele não seja apenas implantado, mas que sejam dadas condições para que possa funcionar e realizar as ações a que se propõe”, observou a parlamentar.

 

Márcia assegurou que a Assembleia Legislativa estará à disposição para garantir, através de votação, o crédito suplementar ao orçamento necessário a execução do projeto. “Nós somos parceiros nessa luta”, arrematou.

 

Além dos representantes do Senado e o ministro da Previdência Social, Garibaldi Filho, participaram a SESED, PMRN, PF, MPF, MPE, Procuradoria Geral do Trabalho, ONG Resposta, dentre outras entidades.

 

Números – Dados do Ministério da Justiça revelam que todos os anos cerca de 60 mil brasileiros são levados do país à força. As vítimas no geral são jovens entre 15 e 25 anos enganados por aliciadores. Em 2002, a Pesquisa sobre Tráfico de Mulheres, Crianças e Adolescentes para Fins de Exploração Sexual Comercial no Brasil (Pestraf) revelou a existência de 241 rotas no país para o tráfico transnacional e interestadual.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s