Robério Paulino no Debate da BAND: “A única coisa que Henrique lidera no RN é a rejeição”

debate - band 01 

 

Nesta noite de quinta-feira (28) ocorreu o primeiro debate entre os governadoráveis do RN, contando com a presença de todos: Robério Paulino (PSOL), Henrique Alves (PMDB), Robinson Faria (PSB), Araken Fárias (PSL) e Simone Dutra (PSTU). O encontro foi promovido pela TV BAND Natal e foi dividido em seis blocos com perguntas da FECOMERCIO, jornalistas potiguares e população.

 

Robério Paulino chegou a TV Band Natal acompanhado por Ronaldo Garcia e Lailson de Almeida, respectivamente candidatos do PSOL a vice-governador e Senado Federal. Os candidatos a deputado estadual Sônia Godeiro e Sandro Pimentel, além da fotógrafa e militante Vanusa Maria e Isabel Keppler e Modesto Neto, ambos militantes do PSOL. Logo na entrada, estava um grupo de policiais militares que reivindicavam a chamada dos 824 concursados até agora não convocados. Robério Paulino durante o debate reafirmou o compromisso que, caso eleito, fará convocação imediata dos concursados dessa e das demais categorias.

 

EDUCAÇÃO

Robério Paulino inaugura a sua presença no debate comentando a resposta do candidato Henrique Alves em pergunta do jornalista Robson Carvalho sobre educação e foi taxativo em afirmar que Henrique passou quase meio século como deputado federal apoiando os vários governos do RN e nunca resolveu o problema do setor. “Agora ele vem aqui e diz que é mudança e que vai resolver os problemas, porque não resolveu antes?” – indagou. No terreno das propostas Robério que é professor da UFRN propôs o fim do analfabetismo em oito anos, aumento imediato dos salários dos professores, destinação de 30% do OGE para educação e eleição direta para as DIRED’s.

 

 

EMPRESARIADO E SAÚDE

O terceiro bloco foi de perguntas do presidente da FECOMÉRCIO, Marcelo Queiroz, para os candidatos e Robério Paulino, foi inquirido sobre os pagamentos às empresas fornecedoras do Estado e a relação do Governo do Estado com o empresariado. “Iremos dialogar, mas não iremos governar para vocês. Não seremos reféns do empresariado.” – respondeu Robério Paulino. Complementou se comprometendo a fazer uma auditoria da dívida do Arena das Dunas, diante das acusações de superfaturamento, e ainda colocou sua preocupação maior com “o calote do governo na saúde do estado”. S obre saúde, também respondeu a uma pergunta e disse que recuperará todos os hospitais regionais para desafogar o Walfredo Gurgel onde morrem por mês 210 pessoas.

 

 

OUTRA FORMA DE FAZER POLÍTICA

A pergunta de Robinson para Henrique e de Henrique para Robinson explicitaram a velha forma de fazer política: discussões sobre negociatas e acordões, de quem apoiou e se aliou a quem durante as décadas na política, sem nada dizer sobre os temas que aflingem a população. Robério Paulino, quando questionado por Robinson como governaria e elegeria os cargos, Robério foi explícito ao afirmar que o PSOL é absolutamente contrário ao loteamento da máquina pública, prática comum da velha política da qual os dois maiores candidatos dessas eleições fazem parte. Como alternativa, Robério apresentou a redução de no mínimo 80% dos cargos comissionados, tendo como alternativa mais concursos e grandes congressos dos setores da saúde, educação, transporte, moradia etc. para definir seus representantes.

 

 

PESQUISAS E ELEIÇÕES

Indagado por Araken Farias no quinto bloco sobre a sua cruzada contra as pesquisas eleitorais, Robério foi enfático. Paulino foi categórico ao afirmar que as pesquisas não eram transparentes e defendeu que o TRE-RN crie mecanismos para que todos os candidatos possam acompanhar o processo de tabulação dos dados. Robério citou ainda a eleição de 2012 quando o candidato Fernando Mineiro aparecia (em pesquisa eleitoral) com menos de 10% há uma semana do pleito, mas obtendo 22% nas urnas. Se referindo ao candidato do PMDB, Robério relembrou eleições passadas. “Todo mundo dizia que Henrique venceria a eleição em 1992 em Natal, mas ele perdeu para Aldo Tinoco e vai perder essa eleição de novo” – previu.  No mesmo tom Robério finalizou sua fala: “A única coisa que Henrique lidera no Rio Grande do Norte é a rejeição”. Ao final, solicitou a retirada de seu nome nas pesquisas, caso não possa acompanhar o processo com transparência, junto com os demais candidatos.

 

 

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Robério Paulino inicia suas considerações fazendo um chamado às pessoas cansadas com as campanhas milionárias, os currais eleitorais, a corrupção, a darem uma chance ao novo. Conclamou a população a transformar as velhas oligarquias Alves, Maia, Fárias e Rosado em passado e folclore. “Não podemos desistir. Juntos vamos transformar essas oligarquias da velha política e dos velhos coronéis em folclore”. Ainda nas considerações finais Robério lembrou as grandes manifestações de junho de 2013, mostrando concretamente como juntos podemos mudar essa realidade triste da precariedade dos serviços públicos. Encerra seu discurso combatendo a compra de votos: “Eles podem até tentar comprar seu voto, mas não poderão comprar a sua consciência”, disse.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s